Criança tem de parecer e "ser" criança.

Há mais ou menos dois meses tenho passado em frente a um outdoor que anuncia um desfile infantil como resultado de uma ação de inclusão social de meninas carentes, em um projeto municipal em minha cidade. No anúncio, aparece uma menina de cerca de seis ou sete anos (não é essa da ilustração), muito maquiada e séria, com os cabelos penteados de maneira rebelde, o que me remeteu a uma versão infantil de uma capa da Vogue ou algo assim.

Pensei comigo? Como assim??!!! Qual o propósito de expor publicamente uma criança linda, com um rostinho e olhar tão inocente, de uma forma tão adulta, séria e quase sensualizada? Eu realmente não consigo ver graça em artificializar a beleza infantil, e muito menos, em transformar crianças em uma espécie de adultos em miniatura.
Nas redes sociais, constantemente vejo post bem populares com meninos e meninas posando com trejeitos e trajes semelhantes aos de adultos, e quase sempre com “carão”, e não consigo ver a graça por trás disso. Acho tão mais bonito o sorriso descomprometido das crianças. As poses improvisadas e despretensiosas nas sessões de fotos caseiras, que retratam a natureza pura e simples das crianças, e todas as vezes que as vejo transformadas por maquiagens, poses elaboradas e “carões”, a sensação que tenho é que estão sendo corrompidas, mitigadas em sua pureza e infância.
Vejam, não é que eu não ache engraçadinho vez ou outra, e não me derreta quando minha filha calça meu scarpin vermelho com colar de pérolas envolto ao seu pescocinho querendo me imitar. E sim, eu deixo minha filha de sete anos colorir as unhas, e até libero um baton e uma maquiagensinha infantil, mas o que não consigo admitir é criança usando roupas as quais muitas vezes tem um propósito de sensualização, e se maquiando de tal forma que não se consiga identificar mais aquela feição pura. Poxa, hoje em dia a puberdade está cada vez mais precoce em nossas crianças, o que significa dizer que a maioria das meninas tem sua primeira menstruação entre os dez e onze anos, e muitos meninos iniciarão a vida sexual aos doze anos, ou seja, quanto lhes restarão da infância?
Não quero levantar bandeira do politicamente correto, mas tenhamos bom senso com nossas crianças. Ponderemos a real necessidade de anteciparmos conceitos adultos de estética e comportamento aos nossos pequenos. Prezemos pela infância por amor aos nossos filhos, os quais o mundo já os expõe prematuramente à tantas exigências, dores e medos.

Deixe um comentário